/* */ Cor Sem Fim: Eu perguntei, Mimicat respondeu

Eu perguntei, Mimicat respondeu


Marisa. 31 anos (não parece n-a-d-a). Coimbra. 

Cantar não foi sempre inteiramente a sua profissão: quando a entrevistei mantinha, ainda que parcialmente, a sua actividade em investimento imobiliário. Em 3 palavras diz-se persistente, teimosa (que, sublinha ela, são coisas diferentes) e exigente

Não, não é ruiva natural. A Marisa que eu conheci já tinha tido o cabelo pintado de preto, de vermelho, de ruivo. Já nem sabe muito bem qual o tom natural de castanho que o seu cabelo tem!

Mas voltemos ao que interessa. Falámos sobre públicos que tenham marcado e tenham sido surpreendentes, como já vai sendo hábito por aqui. Ela não foi capaz de escolher só um; foram três as escolhas dela: na Festa do Avante (um concerto para 2000 pessoas no Auditório Primeiro de Maio), na Virada Cultural no Brasil (onde ela, tal como os The Black Mamba, foi inserida numa homenagem a um país estrangeiro. "A recepção foi brutal! Senti-me uma mega star.", salienta Mimicat. Houve, até, pessoas que vieram de fora para a ir ver.) e no dia antes ao concerto em Portalegre que foi em Coimbra no TAGV. A este top de públicos, seguiu-se o top de sítios para tocar. E são eles *rufar de tambores* o Royal Albert Hall, o palco principal da Festa do Avante e o Theatro Circo (onde já tocou).


Não canta só em inglês. No entanto, ela criou uma identidade enquanto Mimicat e a escrita dela em inglês é diferente da portuguesa, criando assim identidades opostas. Na altura da entrevista, ela estava indecisa quanto a uma música que tinha feito em português e não sabia se a ia colocar no disco ou não. Estava, até, a criar um projecto à parte da Mimicat só em português.

É uma rapariga com expectativas muito realistas e muito práticas. Põe-as nela e não no público: vai para o concerto para dar o seu melhor (tal como os seus músicos) e o objectivo é divertirem-se. Se o público retribuir essa energia, melhor e assim cria-se uma ligação.

A banda que trouxe é a banda que a acompanha sempre enquanto Mimicat, apesar de também tocarem para outras bandas (o namorado dela também faz parte da banda!). Antes disso, em 2008, tinha estado em Portalegre com a sua antiga banda, onde era vocalista e era uma coisa com mais influências italianas, os Casino Royal. Tinha sido no café-concerto (Quina das Beatas) e gostou tanto que quis voltar!


Quanto à sua infância...

Tinha um peluche que era uma ovelhinha branquinha de orelhas cor de rosa (e ela dormia sempre com ele) e um pianinho de cauda de brincar da Pantera Cor de Rosa. O piano ainda a acompanha... Mas o peluche desapareceu algures na sua adolescência.

O primeiro concerto a que foi foi do Miguel Ângelo, no Jardim da Cereja, em Coimbra, algures em '91. Os primeiros concertos deu-os com 10 ou 11 anos. Ela gostava e os pais apoiaram-na. Perceberam que não era só um sonho, mas sim uma ambição e tem vindo a investir nisso. Teve aulas de canto, coisa que voltou agora a ter em conjunto com aulas de piano. Nas aulas de canto aprende técnicas para proteger o máximo possível a sua voz, para que esta não se danifique (não queremos nada a nossa Marisa rouca!).


Prefere frutas a vegetais, adora morangos (quem diria!) mas não gosta de anonas.
Um artista para tocar por uma noite seria John Legend e não se importava de ficar com Cry Me a River, da Ella Fitzgerald, encravado no carro. Gostou de tocar junto ao mar, em Cascais, nas Festas do Mar. A sua música sua preferida? Do primeiro disco a "Who We Are", deste a "Lord". Série preferida? House of Cards.


Achei incrível a energia com que ela deu o concerto, num palco pequeno... e de saltos! Mas ela na entrevista revelou-me o seu segredo: ela sente-se confortável nestes saltos porque são sapatos de dança. São de uma amiga dela que tem uma marca chamada Rumbanita. São sapatos mesmo para dança, como disse. Não têm sola e dá para dobrar, para além de que são super confortáveis.


Terminámos com uma frase, como sempre fazemos. E esta é uma frase especial que ela repete para si mesma várias vezes, mas em inglês: Try, try, until you get it right.

10 comentários:

  1. Como sabes foi a primeira vez que vim até ao teu blogue e gostei muito desta entrevista. Por acaso o namorado ouve Mimicat :)
    Ela estava linda.
    Só foi pena não encher :( Que treta.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de ouvir também.
      Ela estava e nos videoclips está sempre muito original.
      Infelizmente é recorrente :/
      Beijinho!

      Eliminar
  2. adorei a entrevista, saber como foi o primeiro concerto, como foi a infância dela, adorei saber de tudo isso <3

    ResponderEliminar
  3. Que linda! Ela tem uma áurea contemporânea, não sei explicar. Gostei bastante da entrevista.

    Até mais!
    Karolini Barbara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, ela é muito bonita. Ainda bem que gostou!

      Eliminar
  4. Não conhecia ela, mas achei uma pessoa incrível, pena que poucos a conhecem :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora já mais gente a conhece! :)

      Eliminar
  5. Que moça linda. Aqui no Brasil nunca ouvi falar =\
    Fiquei curiosa pra saber que estilo canta e conhecer sua voz. Pudia ter colocado alguma música dela^^
    Ainda tenho meus bichos de peli favoritos. Muitos dei ao longo dos anos. Mas os amores dá vida me acompanham^^

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu publiquei num outro post hehe :) mas tem razão, tenho de começar a colocar, bom conselho! Obrigada :)

      Eliminar