/* */ Cor Sem Fim: 28 COM A JU || ACMA || • agorafobia •

12.2.17

28 COM A JU || ACMA || • agorafobia •


Falar sobre sentimentos nem sempre é fácil, especialmente se é algo que é muito nosso. Falar de medos, então, acho que é das coisas que mais nos pode custar. Sejamos sinceros: nem sempre admitimos os nossos medos porque, afinal, se temos medo é porque não nos sentimos seguros e confiantes com isso. Às vezes temos até vergonha por termos esses medos e sentimo-nos incompreendidos.

No início deste ano lectivo (algures em Outubro), foi-nos dada a premissa do nosso trabalho final de curso: MEDOS. Temos até Junho (ou Setembro) para fazer uma animação baseada numa história que tenha como base o medo e eu escolhi algo que mexe comigo todos os dias. 

Agorafobia, que vem da junção do grego ágora, que significa assembleia, e de phobos, que significa medo, é, originalmente, o medo de espaços abertos ou de estar no meio de multidões. Mas vai muito além disso.

A agorafobia pode ser definida como o medo de estar no meio de uma multidão e sentir que não se tem saída caso algo de grave aconteça. Ou seja, esta fobia não tem tanto a ver com a multidão, mas sim com o medo de não haver um meio de fuga. Pode também ser traduzida como o medo de ter medo. Os agorafóbicos acabam por pensar em todas as opções, todas as saídas, todas as variáveis mesmo que inexistentes. Os medos são, por norma, algo de irracional. Mas, às vezes, as coisas falham e os nossos medos aumentam e parece que lhes damos razão. Então tornamo-nos mais calculistas.

Não, não tenho um diagnóstico médico que prove isto. Tenho, isso sim, tudo aquilo que sinto cada vez que entro num autocarro, num cinema, numa sala de aula. Olho para onde são as janelas, para as pontas, para as portas. Penso sempre em como posso sair daquele espaço a correr. Nem gosto de dormir de porta fechada! 

Se isso condiciona a minha vida? Por vezes sim. Já deixei de fazer coisas com base nisto. Ataques de pânico, crises de ansiedade. Mãos tremem, corpo dormente, respiração acelerada, tonturas. São sensações que conheço bem e tenho aprendido a combater, sem comprimidos. Há sempre a calma, a paz, o lugar seguro. Há sempre exercícios de respiração, música boa, pessoas que estão lá para nós. E é disso que falo no meu projecto.


Amelie é uma rapariga nervosa que todos os dias enfrenta isso: apanha o autocarro cheio de gente e viaja mentalmente para o seu lugar seguro para se acalmar e se abstrair do que se passa à sua volta. Este espaço seguro poderia ser qualquer coisa, mas neste caso, para ela, é uma floresta. As cores foram escolhidas a dedo, a animação está em progresso e irei trazer-vos mini updates!

Este post foi a minha colaboração para o ACMA deste mês. Já há algum tempo que não apresentava assim um post compostinho e logo no início da leva do mês. 

Já sabem que se se quiserem juntar basta enviar um email para corsemfim@gmail.com com o vosso nome, idade, blog e/ou canal de youtube e o motivo de se quererem juntar. Aguardo ansiosamente pelas vossas propostas!

Quanto aos participantes deste mês, vou actualizar este post constantemente com os links directos!

(em actualização)

32 comentários:

  1. Interessante tema, Joana! Todos nós temos os "nossos medos" e ter a coragem de os enfrentar já é uma ajuda para os combater.
    Parabéns pelo excelente trabalho que estás a desenvolver. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro! Passinho a passinho vamos lá :)

      Obrigada, beijinho!

      Eliminar
  2. Conhecia por alto esta fobia/medo, nem imagino o quanto deve ser difícil lidar com esse turbilhão de sentimentos e sensações. Fiquei curioso com a história da Amelie e com a animação. Fico à espera de novidades :)

    Bitaites de um Madeirense

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil porque nem sempre as pessoas à nossa volta compreendem e dificulta ainda mais aquilo que estamos a sentir.
      Trarei novidades assim que possível!

      Eliminar
  3. Quero imenso ver a tua animação! Gosto muito de coisas desse género :)
    Quanto à fobia, não a tenho. A única coisa que me faz realmente muita confusão é nada em sítios onde não consigo ver o fundo. Começo logo a ficar ansiosa.
    Kiss, Mariana Dezolt
    Messy Hair, Don’t Care

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu espero que gostes hehe
      Isso é como se fosse um medo do desconhecido, acho eu :)

      Eliminar
  4. Bacana demais o seu projeto, adoraria ver a animação depois de concluída! Exercícios de respiração e meditação costumam ser muito benéficos para quem sofre com agorafobia e outros tipos de ansiedade. Funciona muito para mim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu espero que ela fique boa o suficiente para poder ver!

      Sim, exercícios de respiração ajudam. Meditação nunca experimentei. Muito obrigada pelos conselhos!

      Eliminar
  5. És grande, gigante e tens uma força incrível *

    Beijocas,
    ANDA DAÍ!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És uma querida, Sofia, obrigada por estares ao meu lado!

      Eliminar
  6. Estou ansiosa por ver o resultado.

    ResponderEliminar
  7. Excelente projecto, Ju. E é bom enfrentarmos e termos consciência daquilo que nos aflige, é o primeiro passo para reconhecermos e lidarmos com os problemas. Força e boa sorte! :)

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas às vezes é bem complicado!

      Obrigada Joana :)

      Eliminar
  8. Bem... aranhas também não é coisa que me agrade muito mas, felizmente, não chego ao ponto de entrar em pânico (mas quase). Superar um medo é, sem dúvida, das tarefas mais difíceis que podemos encontrar. Bjs **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos de enfrentar as coisas aos poucos :)

      Eliminar
  9. Porra , não consigo imaginar a minha vida nesta situação :/ Eu ainda por cima sou toda paranóica, acredito que me afetasse bem mais do que tu dizes :/
    Beijinho e bora lá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É complicado, mas com as pessoas certas as coisas funcionam ;)

      Eliminar
  10. Eu também fico procurando as saídas dos lugares, eu olho principalmente para as saídas de emergências e para os martelos de emergências que ficam nos ônibus :c

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sempre com fuga planeada!

      Eliminar
  11. Que post tão bom e que projeto melhor ainda! Confesso que fiquei muito, muito curiosa em relação ao projeto de animação porque o tema é fantástico e a forma como dás a volta à situação e optas por mostrar o lugar seguro e não apenas as coisas más é mais fantástica ainda! Mal posso esperar por ver mais deste projeto tão bom <333

    Um beijinho,
    Bia do Bookaholic.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aw Bia, obrigada! Espero que corresponda às expectativas :3

      Beijinhos!

      Eliminar
  12. Definitivamente não é uma coisa fácil de se falar, ou mais de admitir. Claro que nenhum de nós tem problemas em admitir que tem medo de aranhas (meu caso) ou até coisas mais irracionais como o meu exemplo de tubarões xD
    Mas no que toca a medos causados por inseguranças a historia é outra... por acharmos que isso nos vai tornar mais fracos muitas vezes temos tendência a guardar para nós e penso que em parte isso consegue tornar esse medo ainda mais forte e depois (tal como disseste) aparece o medo de ter medo... Para mim é o pior medo de todos.

    Fiquei mesmo curiosa por ver o projecto completo especialmente por ver a floresta que representa o espaço seguro da personagem!

    Gostei imenso do texto! (Uma grande parte de estar a adorar fazer parte deste projecto é estar a descobrir textos incríveis como este!)

    Beijinhos! :* :*
    Tânia M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, acho que lidar com coisas psicológicas pode, por vezes, ser mais difícil do que lidar com coisas físicas porque o físico está lá e vemos e o psicológico há quem vá sempre achar que é só capricho.

      Espero que gostes do projecto!

      E aw, obrigada :3 ainda bem que estás connosco.

      Beijinhos!

      Eliminar
  13. Eu sou de Bragança, e um dos meus maiores medos era que acontecesse um terramoto. Tudo porque tive uma cadeira de geologia, e a professora da altura disse que quando Bragança tremesse Lisboa já tinha desaparecido... Nos primeiros anos, também ficava sempre perto da porta nos transportes públicos ... bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Credo! Há certos professores que nos assustam com coisas às vezes mínimas...

      Eliminar
  14. Muito bom seu post Joana, sempre é difícil falar dos nossos sentimentos seja ele qual for, para mim é difícil sempre. Bjs

    ResponderEliminar
  15. Nossa, eu não fazia a mínima ideia que essa fobia existia, mas que loco, deve ser muito angustiante ter isso. A sua animação vai ficar maravilhosa! Sucesso pra ti <3
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora já sabe :) é angustiante, mas aprendemos a viver com isso. Obrigada!

      Eliminar
  16. Esclarecedor teu post! Precisamos falar mais sobre isso! Sofro um pouco com isso ... Espero pelo seu projeto! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita calma e tranquilidade ajudam nisso. E boa música, claro. Depois tentarei mostrar!

      Eliminar