/* */ Cor Sem Fim: BLOGMAS || 25: Eu perguntei, Eu Fúria voltou a responder

25.12.16

BLOGMAS || 25: Eu perguntei, Eu Fúria voltou a responder


Além do David, também os Eu Fúria falaram do seu Natal. É só continuar a ler!



Sendo eles uma banda e não um só cantor, as respostas por vezes diferem de pessoa para pessoa. Mas o Natal deles até é parecido nalguns aspectos!

Tanto o Rafael como o João passam o Natal com a família mais chegada. Já o Ivo, como tem os pais separados, divide o dia 24 com a família do lado da mãe e dia 25 com a do pai. Com a mãe, que é muito religiosa, vai, até, à Missa do Galo.

Quando se fala de tradições, o Rafael sublinha que dia 25 à noite tem uma: ir beber umas cervejas com os amigos! Enquanto isso, o João e a sua família gravam vídeos todos os Natais (o que acaba por ser engraçado para, mais tarde, se ver a diversão que foi nos anos anteriores). O Ivo deixou-nos uma história de Natal que o marcou: quando recebeu o primeiro baixo, que foi oferecido pelo pai dele. Para ele significa que o pai também o apoia nesta vida musical.

Óbvio que estes três músicos referiram que as prendas de Natal que mais os marcaram foram os seus primeiros instrumentos musicais: tal como disse antes, o Ivo e o baixo, o João e a guitarra eléctrica e o Rafael e as baterias.

Quanto ao Pai Natal... Bem, o Ivo até aos 10 anos era um fiel crente! Existia sempre aquela surpresa de aparecerem as prendas "por magia" debaixo da árvore, o que tornava fácil acreditar nele. Os outros dois meninos também acreditavam... até descobrirem que eram os desgraçados dos pais que montavam todo o cenário.

Também falámos sobre o consumismo exagerado no Natal. Todos tiveram a mesma opinião: que hoje em dias as pessoas não vivem a maior razão do Natal, que se importam muito com as compras (apesar de estas também fazerem parte), que acabam por tirar um pouco a magia e que influenciam na união familiar. O Rafael diz que a maior importância que o Natal tem são os momentos com a família que devemos aproveitar.

Gostam da comida e da bebida ("várias overdoses de açúcar e álcool"), da gente em casa, do ambiente que se vive nessa noite, da união e de ver a família toda a junta. O Ivo diz que o que menos gosta é quando o Natal acaba (mas o Natal é quando o Homem quiser!) e o João fez uma observação muito específica, que passo a citar: "Dá-me suores frios sempre que abro prendas daquelas tias que vês 4 vezes na vida! SÃO SEMPRE MEIAS!!! Mas ao menos podiam ser meias fixes, que dessem para usar no dia a dia, mas não, são aquelas meias que imediatamente metes para a lareira para manter o ambiente natalício."

Retrospectiva de 2016? Ano de muitas mudanças, muitos concertos, com bons e maus momentos. "Os momentos menos bons há sempre e existiram para sempre porque faz parte da nossa vida e que nos ensina a crescer e aprendermos a sermos felizes."

E desejos para 2017? Tocar mais, fazer músicas de que se orgulhem, mais concertos e patamares mais altos e mais exigentes!

Esta foi a entrevista com estes fofinhos. Eram 4 e passaram a 3, mas a essência não se perde!

Sem comentários:

Enviar um comentário