/* */ Cor Sem Fim: Janeiro 2016

26.1.16

Momentos Com Cor | João Cunha | A Chama

O João é meu amigo há uns quatro anos. E temos trabalhado juntos. À distância, mas juntos. E eu gosto do trabalho dele. Aconselhamo-nos um ao outro, damos ideias um ao outro. Assim tipo trabalho de equipa. Então achei que devia partilhar o trabalho dele por aqui... Com um comentário especial da minha parte.

São vinte fotografias de um trabalho que ele fez. Vinte fotografias que vão ter um post especial para cada uma delas. Aqui vai a primeira. "A Chama". E nada de confundir "#momentosdecorsemfim" com "Momentos Com Cor". A primeira é a hashtag do blog para os meus momentos de cor e o segundo é o título deste projecto do João Cunha. Espero que gostem!


A Chama





"A Chama" foi título que o João deu a esta fotografia. Parece-me claro, não? Uma chama como nos Jogos Olímpicos. E se repararem bem a chama desta imagem ainda faz uma forma bonita. Podia escrever uma composição com base nesta fotografia, mas deixo-a aberta para vocês: que sentimentos vos transmite esta imagem?

23.1.16

Hozier | Uma noite de sonho

Ainda não estou em mim! Juro que não. ( E já foi há uma semana!)

Para quem não sabe, tenho uma crush enoooooooooorme pelo irlandês Andrew Hozier-Byrne (Hozier). As músicas dele estão sempre a tocar na minha cabeça (ou nos meus fones...) e não páro de as cantarolar (às vezes alto de mais). Há uns meses soube que este anjinho do céu vinha a Portugal, ao Coliseu dos Recreios, Lisboa.

"Mãããe!! Temos que ir! Temos que ir"

Foi mesmo até à última. Todos os dias via se ainda havia bilhetes à venda. "Sim, Joana, ainda há. Ainda há bilhetes disponíveis para todas as secções." Mas, às tantas, começaram a esgotar. "Será que vou ou não vou?" Esgotaram os bilhetes de uma secção. Duas secções. Três secções.

"Mãe, sempre vamos? É já amanhã..."

Vamos. Não vamos. Vamos. Não vamos. Ainda há bilhetes? Vamos. Quanto custam os bilhetes? Não vamos. Vamos?

E assim foi. No próprio dia ainda havia bilhetes.

"Estou? Fala do Coliseu? Ainda há bilhetes?"

"Venha à vontade, nós guardamos-lhe dois bilhetes."

Ok. Pronta. Viagem. Quase três horas até Lisboa. Vamos? Vamos.

E agora? "Olhe, desculpe, onde é o Coliseu?" "Eish! Ainda estão MUITO longe! (disse-nos o senhor que nunca deve ter andado no Alentejo)"

Chegámos. "Há bilhetes para camarote?" "Sim"

"Mãe"
"Sim"

"Dois bilhetes para um camarote, por favor"

Comprados uma hora antes do espectáculo. Deus é grande. A esperança foi a última a morrer. E não morreu.

Camarote. Só tu e eu, mãe. Tu e eu. As duas. Num concerto. Dá para acreditar? As duas no concerto do Hozier. Num camarote. Em Lisboa.

Chorei. Ri. Cantei. Gritei. Diverti-me. Passei o melhor tempinho da minha vida.

Vamos? Fomos. E se foi bom.

6.1.16

• Dia de Reis •


Dia de Reis é hoje e isso significa que está na altura de tirar os enfeites de Natal, desligar as luzinhas, desmontar o presépio. Mas não tem que ser tudo assim! E que tal umas dicas (se calhar demasiado óbvias) para manter um pouco de espírito natalício dentro do coração?

3.1.16

Um Jardim Colorido #2

Dum modo mais detalhado (à excepção desta primeira fotografia), mostro-vos mais umas árvores decoradas. Cores que enchem este jardim e que dão um pouco de cor a esta cidade também! Cada árvore pertence a uma instituição ou a uma escola diferente.

2.1.16

Um Jardim Colorido #1






























Às vezes é preciso pararmos e sabermos apreciar a nossa própria cidade, as coisas mais simples que nos rodeiam mas que dão uma nova luz e um novo aspecto ou algo novo que podemos apreciar. Foi isso que fiz neste dia. As árvores foram decoradas para a comemoração o Dia Internacional Para Erradicação da Pobreza e assim permanecerão até que "a morte os separe". Vou-vos mostrar algumas das árvores em três publicações diferentes. Esta é a primeira. Preparados? :) 

1.1.16

• 1 •

Um novo começo. Não é esse o significado que todos vocês atribuem ao primeiro dia do ano? Cheio de promessas de "Este vai ser o ano em que vou estudar mais!" ou "Este ano faço exercício todos os dias!". Promessas que muitas vezes não são cumpridas e, por isso mesmo, eu não vou fazer promessas. Vou tentar fazer mais e melhor (e tenho umas quantas ideias a borbulhar na minha cabeça), mas não vou prometer nada para não deixar na expectativa.

Hoje trago-vos uma revelação. Esta sou eu. Decidi deixar esta espécie de anonimato (que já nem era anonimato - porque algumas pessoas sabiam - nem era assumido - porque muita gente não sabia). Esta sou eu: a Ju, a Joana, a Joaninha. Aqui, para vocês. Aqui, para assumir a minha opinião. Aqui, para dar a conhecer um pouco de mim. 

Esta sou eu. E esta decisão não foi tomada de ânimo leve. Mas isso são conversas para outras alturas! 

Para este ano e para sempre vos desejo uma boa vida. Repleta de boas coisinhas desta vida. Repleta de coisas doces e salgadas. Repleta de amor, carinho e felicidade. Repleta de boas pessoas, boas leituras, bons momentos. De tudo o que gostam e adoram.

Esta, sou eu. (Ainda com espírito natalício, mas sou eu.)