/* */ Cor Sem Fim: ICONIC | Um laboratório chamado SKETCHBOOK (pt2)

24.8.15

ICONIC | Um laboratório chamado SKETCHBOOK (pt2)

Continuando o post anterior, sobre a palestra do André Rocca no ICONIC.

Para que serve um sketchbook?

2. Não é necessário SÓ desenhar. Registar ideias também é válido. Além disso (como já foi referido) um sketchbook não necessita ser um artbook. Por favor não cometam o erro de ter medo de errar. Se pensarem num sketchbook como sendo um artbook, vão ter medo do que vão desenhar, vão querer que seja tudo perfeito e lindo e ao mínimo erro vão desanimar. E o objectivo do sketchbook não é esse. O sketchbook tem como objectivo a experimentação. É uma mistura de esboços, trabalhos finais, coisas rápidas, escrita, ideias, e tudo o que vos apetecer. O PROCESSO É IMPORTANTE. Às vezes até mais importante que o trabalho final. Se forem analisar um artista, vejam o processo dele para perceberem como ele chega aos resultados e como é que o processo o ajuda, em vez de só olharem para o trabalho final (contra mim falo, que eu não faço nada disto e tenho que começar a fazer haha). Como já disse também, às vezes é difícil sentar e desenhar e é por isso que o sketchbook é importante. Por ser portátil, permite desenhar nas esperas, nos trajectos e em todos os pedacinhos de tempo em que nos apetece nem que seja rabiscar.

3. Registar e capturar o que está à nossa volta. Viver o momento. Capturar energias, movimentos, interacções. Reproduzir o que está na nossa mente é o que fazemos muitas vezes, mas as nossas vivências alteram as memórias que temos de certas coisas. É diferente desenhar à vista do que desenhar de cabeça. Quando desenhamos à vista, temos outra percepção das coisas. A OBSERVAÇÃO É MUITO IMPORTANTE. Ajuda-nos a entender as proporções e as perspectivas. Observem o mundo à vossa volta. Faço isso muitas vezes e apercebo-me de muitas coisas que dantes não me apercebia. E isso ajuda-nos a ter referências visuais futuras, para quando quisermos desenhar de cabeça. Uma regra que muitas vezes apliquei aos meus desenhos (dentro e fora das aulas, e até mesmo os professores aconselhavam) era desenhar com caneta ou desenhar sem borracha. Porquê? Porque os erros são importantes. Desenharmos e não podermos apagar ajuda-nos a evitar ter medo dos erros.

4. Capturar o momento. Ser expressivo. Ser dinâmico. Registar ideias. Estudos em thumbnail. Rabiscar. Doodles. Evoluir os sketchs como evoluem os pokémons. Fui clara?

5. E, por último, o ponto que deu o título à palestra (e do qual também já falei, mas é sempre importante): o sketchbook dá-nos a possibilidade de experimentar. Experimentar o quê? Processos. Soluções para problemas. Cores. Estudos. Materiais. Técnicas. Papéis. Etc,etc. Não se preocupem com o que desenham. Eu sei que é difícil. Temos tendência a racionalizar tudo. Não se preocupem em ter um estilo já definido! O estilo que vamos ter vai ser influenciados por outros estilos e pelas nossas vivências e para isso precisamos de experimentar! SEJAM LIVRES! O sketchbook é vosso mundo, onde ninguém manda, está bem? Desenhem o que gostam (e o que não gostam também, pois se nunca desenharem isso, nunca saberão se gostam). Façam desafios a vocês mesmos. Criem o que quiserem, como quiserem, com o material que quiserem. Quebrem as regras (mas nada de andar a queimar florestas e assim, ok maltinha?). Mas misturem materiais e técnicas. Irão descobrir novos estilos, novas coisas que nem sabiam que gostavam e ideias que nem sabiam que viviam nas vossas cabeças. O céu é o limite!

Espero que tenham gostado!

Qualquer informação que queiram acrescentar, por favor sintam-se à vontade de o fazer nos comentários. Podem também consultar tudo o que já escrevi sobre o ICONIC aqui.

(acho que nunca escrevi tantas vezes a palavra sketchbook, parte2)

Sem comentários:

Enviar um comentário