/* */ Cor Sem Fim: Abril 2015

18.4.15

As Aventuras da Ju: Contextualização

Viajar de autocarro não é assim tão mau. - Ju, 2015

Acreditem, isto, vindo de mim, é um sucesso alcançado. Eu sou o tipo de rapariga que odiava, repito, odiava visitas de estudo. E não estou a exagerar. Meterem-me num autocarro para ir até Lisboa era uma tortura. Para toda a gente: para mim porque não queria e só o facto de o autocarro estar a trabalhar comigo lá dentro era um pesadelo; para os meus pais porque eu implorava para não ir; para os meus professores que, coitados, lá tinham que me aguentar desesperada nos primeiros quilómetros; e para os meus colegas que ficavam preocupados e eles mesmos nervosos de me verem assim. Mas (GRAÇAS A DEUS!) já combato isso melhor.

"Estávamos no ano de 2012. A escola organizou uma viagem a LONDRES. A Londres, Deus meu, a Londres! Aquele meu destino de sonho, aquele a que eu pensei que nunca iria! Não poderia perder esta oportunidade nem por nada deste mundo. Quis saber pormenores, obviamente. Perguntei ao professor responsável e havia duas opções: ir até Madrid de autocarro e lá apanhar o avião OU ir de Portalegre a Londres sempre de autocarro, com paragem em Paris. Hesitei. IMENSO. Afinal, se ir de autocarro até Lisboa era uma tortura, como seria ir até Londres? Tinhamos que passar naquele comboio por baixo do canal da mancha. A minha mãe convenceu-me. 'É Londres, Joana, não é aonde sempre quiseste ir? Não é o teu destino de sonho?' Verdade. Tinha que ir. Não podia perder. MAS não queria ir de avião. Ok, vamos lá de autocarro. Vamos lá controlar os nervos e pôr-nos dentro daquele transporte que não faz mal a ninguém e ainda paramos em Paris. Tem calma Joana, os teus pais também vão. E vai gente da tua turma. E vão amigos teus. Vais-te divertir, vais ver. E fui. Claro que os primeiros quilómetros me custaram, mas valeram bem a pena."

Depois hei-de vos contar mais sobre esta viagem. Até lá, Amesterdão é o tema falado aqui. Foi a minha terceira viagem e, apesar de todas as peripécias pelas quais o autocarro desta viagem passou, eu já não sofro tanto de autocarro. A menos que tenha que ir até Lisboa.

6.4.15

As Aventuras da Ju: Intro

Estou de volta! Estou de volta (Já há uns dias, é certo, mas estou de volta!) e pronta para vos contar as minhas aventuras. (Sim, porque esta viagem foi um sem-fim de aventuras e peripécias e histórias para contar.)

Como vos tinha dito fui viajar. A partida foi de Portalegre, dormimos a primeira noite em Poitiers e no dia a seguir visitámos Paris. No terceiro dia explorámos Bruxelas e no quarto e quinto Amesterdão. No sexto divertimo-nos na Disneyland e no sétimo regressámos. Isto assim para resumir. Esta publicação vai sendo actualizada para que, um dia mais tarde, seja só preciso clicarem nas partes da viagem e vão direitinhos aos links! O custo total da viagem foi de trezentos e noventa euros por pessoa, com dormidas, viagem de autocarro (sim senhora, esta viagem foi todinha feitinha de autocarro, e não é mau como muitos pensam) e pequenos-almoços incluídos. O preço inclui também um almoço de grupo num Hard Rock Cafe, um jantar (também de grupo, que é para isto que estas viagens também servem: conhecer gente nova. E este ano éramos setenta e sete! Muita gentinha para conhecer!) no espetáculo do Buffalo Bill e, ainda, uma entrada no parque principal da Disneyland. 

Como é altura da Páscoa (e mesmo que não fosse, mas vá) eu fui com os meus pais e o meu irmão, como se fosse uma viagem de família. Claro que também estive com o resto do pessoal, principalmente com a malta mais nova da viagem (se calhar porque são tão loucos como eu). Hei de ter muito tempo na minha vida (ou pelo menos assim espero) para viajar sem os meus pais e com os meus amigos. Mas enquanto posso estar com eles, porque não aproveitar?



Ah! Só mais uma coisa: alguma dúvida/questão/curiosidade/comentário que queiram fazer, feel free and do it!